• Home
  • 2018
  • Fevereiro

Imigração agora aceitará pagamento por Cartão de crédito

WASHINGTON – O US Citizenship and Immigration Services (USCIS) anunciou hoje que agora aceitará pagamentos com cartão de crédito para pagar a maioria de seus formulários. A nova opção de pagamento está disponível para os 41 formulários baseados em taxas processados ​​nas instalações do USCIS Lockbox.

Os usuários poderão pagar por Visa, MasterCard, American Express ou Discover, os candidatos precisarão usar o Formulário G-1450, Autorização para Transações com Cartão de Crédito. O USCIS entrará nos dados do cartão de crédito no sistema Pay.gov, operado pelo Departamento de Tesouraria dos Estados Unidos e destruirá o Formulário G-1450 para proteger as informações do cartão de crédito. Os candidatos à naturalização e os que renovam ou substituem seus Green Card’s já podem usar um cartão de crédito quando eles estão online no sistema uscis.gov. Além disso, o USCIS já vem aceitando pagamentos por cartão de crédito para formulários de naturalização aplicados desde 2015.

A Advance Visa trabalha desde 2014 em Processos de Imigraçao, precisa de ajuda no seu processo de Imigrante ou Não-imigrante? Consulte-nos!

A administração do Trump teria redigido regras para direcionar os imigrantes que usam “Food Stamps”

Uma nova proposta, elaborada pela administração do Trump, permitiria que os funcionários da imigração considerassem o uso de programas governamentais por parte dos imigrantes ao decidir se os concede ou não o status permanente.

A regra do rascunho, vista pela Reuters, é uma forte afastamento da legislação atual dos EUA, o que impede que funcionários da imigração usem os benefícios dos imigrantes como assistência alimentar e subsídios do seguro de saúde ao rever sua aplicação.

A regra não se aplicaria aos residentes permanentes que procuram a cidadania, mas afetariam as centenas de milhares de imigrantes que se candidatavam para o status permanente nos Estados Unidos a cada ano. As regras propostas, elaboradas pelo Departamento de Segurança Interna (DHS), argumentam que os imigrantes legais que utilizam programas públicos são um fardo para o estado.

“Os não cidadãos que recebem benefícios públicos não são auto-suficientes e dependem do governo dos EUA e das entidades estatais e locais para obter recursos em vez de suas famílias, patrocinadores ou organizações privadas”, afirma o documento, de acordo com a Reuters. Continua:

“O recebimento de benefícios públicos de um estrangeiro vem a despesa do contribuinte e a disponibilidade de benefícios públicos pode constituir um incentivo para que os estrangeiros imigrem para os Estados Unidos”. A regra preliminar ainda não foi aprovada pela liderança máxima. O DHS não retornou um pedido de comentário.

Alvaro Huerta, advogado da equipe do National Immigration Law Center, convocou o projeto de proposta “de tirar o fôlego no alcance e crueldade”. “Isso restringiria severamente a capacidade das famílias de certos imigrantes para poderem passar”, disse ele à The Independent. Aproximadamente 1,3 milhão de não-cidadãos utilizaram o programa do Programa de Assistência à Nutrição Suplementar (SNAP), anteriormente conhecido como cupões de alimentos, no ano fiscal de 2016, de acordo com o Departamento de Agricultura.

No início de 2017, o Washington Post informou que os bancos de alimentos estavam vendo um declínio no número de imigrantes que se candidatavam ao SNAP e um aumento nos imigrantes se retirando do programa. Advogados disseram que muitos imigrantes temiam que isso afetasse sua cidadania ou aplicações de residência permanente.

“Eu recebo chamadas de pais preocupados o tempo todo:” Devo retirar meus filhos do programa? “Eles estão arriscando a fome por medo … e meu coração apenas quebra por eles.” Luisa Fortin, coordenadora de divulgação do SNAP para o Chattanooga Food Bank, disse ao Post no momento. O projeto de lei do DHS seria consistente com o empenho de Trump para reduzir drasticamente a imigração legal para os EUA.

Apenas no mês passado, o presidente revelou um plano de imigração que os especialistas disseram que resultaria na maior redução proposta para a imigração legal em décadas. O programa acabaria com a chamada “migração em cadeia”, impedindo os cidadãos dos EUA de patrocinar parentes de fora do país para um cartão verde.

Também encerraria o sistema de loteria de vistos de diversidade, que permite que pessoas de países com baixa representação nos EUA imigrem para o país. Huerta disse que a última versão do DHS marcou mais uma tentativa da administração Trump de reduzir a imigração legal. “Em última análise, isso está tentando limitar a imigração familiar”, disse ele. “Isso está tentando tornar mais difícil chegar ao país legalmente e, na verdade, por falta de uma maneira melhor de dizer isso, torne a América branca de novo”.

DHS considera limitar benefícios para imigrantes nos EUA

Sempre aviso meus clientes, não usem o sistema público se um dia vocês quiserem pedir a Cidadania. Um permanente residente deve comprovar estar financeiramente apto a se sustentar no país! No formulário da cidadania é feito esta pergunta e você não pode mentir! Se usou, será negado, se usou e dizer que não usou, será negado.

A Imigração está cada vez mais fechando o cerco sobre as ilegalidades que todos nós Imigrantes fazemos, e ela pode até levar tempo, mas ela pegará! 

O Departament of Homeland Security (DHS) está considerando reformular uma medida da década de 1990 que busca expandir os motivos pelos quais os imigrantes podem ter negados tanto o pedido de Green Card quanto extensões de visto, limitando ainda mais a permanência de imigrantes legais temporários no país.

A atual administração está analisando novas regras que tornaria mais difícil para os imigrantes serem admitidos nos EUA ou obter Green Card se eles ou seus filhos receberem certos benefícios públicos, incluindo algumas formas de Medicaid ou Head Start.

A nova proposta propõe retirar alguns benefícios como algumas formas do Medicaid, o Children’s Health Insurance Program (Programa de Seguro de Saúde da Criança), food stamps, cuidados de saúde subsidiados pelo Obamacare e programas de educação de Head Start.

Algumas formas de assistência pública ainda estarão isentas, como alívio de emergência ou programas de almoço escolar.

Com isso, o plano poderia levar a um número substancialmente maior de imigrantes bloqueados para ficar nos EUA, uma vez que aumentaria a barreira para os imigrantes comprovarem sua renda para que não “dependam o governo”.

A lei atualmente autoriza o DHS a rejeitar os imigrantes se eles são ou provavelmente se tornarão “cobrança pública” – dependentes do governo. A orientação atual inclui algumas formas de “benefícios em dinheiro”, mas dispensa uma série de programas de consideração, especialmente aqueles que apoiam as crianças de imigrantes que são cidadãs dos EUA e elegíveis para benefícios que os imigrantes de outra forma não são.

Procurado para responder sobre o assunto, o porta-voz do DHS, Tyler Houlton, disse que “a administração está empenhada em aplicar a lei de imigração existente, que é claramente destinada a proteger o contribuinte norte-americano. Qualquer mudança potencial na regra seria de acordo com a letra e o espírito da lei – bem como as expectativas razoáveis ​​do povo americano para que o governo seja bom administrador dos fundos dos contribuintes”.

Com informações da CNN.

 

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: